R

Roger Prado

Passos (MG)
2seguidores1seguindo
Entrar em contato

Principais áreas de atuação

Direito Processual Civil, 50%

É o conjunto de princípios e normas jurídicas que regem a solução de conflitos de interesses por ...

Direito Civil, 50%

É o principal ramo do direito privado. Trata-se do conjunto de normas (regras e princípios) que r...

Comentários

(338)
R
Roger Prado
Comentário · há 9 meses
A tese de que fatores sociais geram bandidos é por demais absurdo, até hoje nunca vi uma explicação objetiva para essa tão defendida (principalmente no meio acadêmico e no meio "pensante" do Brasil) e tão inócua tese, para mim, trata-se de pretensão preconceituosa, leva a crer que todo pobre é um bandido em potencial.

Sou de família humilde e conheço inúmeras pessoas que passam por extremas dificuldades, inclusive as satisfações mais básicas de sobrevivência, nem por isso perderam 1% de sua honra, caráter ou bondade, ao contrário, quando mais a vida lhe pesa a mão, mas obstinados em ajudar o próximo ficam e, digo mesmo, exemplos desses são maioria.

De outro norte, temos exemplos de pessoas riquíssimas, que vivem no nabalesco conforto de mansões, carrões e tutti quanti, entretanto, assaltam os cofres públicos, traficam e praticam toda a ordem de ilícitos, como dizer que as "circunstâncias o moldaram", claro que tudo não passa de um engodo.

Em meio a isso, temos o policial, a defesa primeira entre aqueles que praticam o mal e aqueles que, caminhando pelo bem, não tem condição de se defender. Na volta de tudo isso, temos esse discurso: "a polícia brasileira é a que mais mata", que é sanguinária e etc. Uma balela de todo tamanho.

Evidente que há, talvez não poucos, desonestos no meio da corporação, mas é ela que, a trancos e barrancos continua firme na nobre missão de defender-nos, enquanto os demais poderes já foram corrompidos desde dentro, a polícia continua firme, nessa verdade guerra assimétrica onde só um lado tem o direito de matar e do discurso.

Desculpe amigo, a repressão firme e eficaz leva ao medo e o medo a paz

Recomendações

(135)
D
Domingos Antonio Reis
Comentário · há 8 meses
A verdade sobre a vereadora Marielle

É preciso destruir o discurso hipócrita da esquerda comunista bandida.

A vereadora carioca Marielle Franco, assassinada ontem à noite no Rio de Janeiro, era uma ultra esquerdista, com ideias nefastas e totalmente tortas, uma eterna defensora de bandidos, defendia liberação das drogas, era contra a intervenção federal na segurança do estado, defendia a doutrinação de esquerda nas universidades e escolas, pregava o ódio em tempo integral, pregava a divisão entre as pessoas - fosse entre brancos e negros, entre homens e mulheres, entre ricos e pobres.

Sua última acusação foi através de uma postagem onde acusava a PM - como somente a esquerda e principalmente os psolistas sabem fazer -, mas nunca, em momento algum, se incomodou com a ocupação dos morros pelos traficantes, nunca questionou o absurdo da venda de drogas em mercado aberto nos morros, jamais se escandalizou com o total domínio dos traficantes, que andavam e ainda andam armados com armas de alto calibre pelas ruas de forma petulante, onde as pessoas têm de conviver com isso como se fosse algo natural.

Não, ela nunca se comoveu quando traficantes invadiam as casas de moradores pobres e os obrigavam a esconder drogas e armas, ou quando estes traficantes expulsavam moradores de suas casas e as ocupavam; quando estes criminosos aplicavam "correções" em moradores, que segundo eles seriam "alcaguetes" ou "X9" na linguagem da malandragem, correções estas onde raspam as cabeças de mulheres, batem nos rostos, queimam com cigarros, espancam, cortam, ou seja, torturam - isso quando não simplesmente matam no micro-ondas (onde a vitima é envolta em pneus, encharcada com gasolina e queimada viva.

Não, ela não virou santa porque morreu, e muito me decepciona ver pessoas que eu respeito no meio jornalístico louvando-a, se dobrando às patrulhas, demonstrando não terem personalidade. Que se lamente o assassinato, mas que não se enalteça quem em vida não fez por merecer ser enaltecida.

Eu não sou jornalista, não sou político, não sou famoso, portanto não tenho nenhuma obrigação de bancar o hipócrita demagogo e dizer que sinto muito pela morte desta pessoa tão nociva, com pensamentos tão perturbados, ideias tortas, visão totalmente distorcida da realidade e sem moral alguma... Mas, nem por isso eu desejava a sua morte. Quero antes que esse pessoal viva - e viva muito - para ver suas ideias psicóticas de esquerda serem varridas sucessivamente da face da terra.

Antropólogo , Sociólogo e ativista dos direitos humanos : Sandro Silva

Perfis que segue

(1)
Carregando

Seguidores

(2)
Carregando

Tópicos de interesse

(6)
Carregando
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

Outros advogados em Passos (MG)

Carregando

ANÚNCIO PATROCINADO

Roger Prado

Entrar em contato